KIDDING, S02E05, "Episode 3101" (2020)

Para definir o género de algumas grandes séries atuais, sempre me lembro de um título do Nuno Costa Santos: "melancómico". Prefiro-o a "dramedy" ou tragicomédia, porque não me parece que haja muito drama ou tragédia em Derek, After Life ou Ramy. Em todas, a observação satírica dos tipos ainda parece mais importante do que acompanhar o percurso do protagonista através de obstáculos até um grande objetivo ou do que ver a húbris das personagens sofrer um belo castigo divino. É como se o Coiote continuasse a perseguir o Papa-Léguas, mas fosse um pouco triste sempre que não conseguisse. Ora, Kidding cai redonda no género. As suas personagens passam por cirurgias, mortes, divórcios e, no entanto, melhor ou pior, lá vão seguindo em frente. Parece-me um tom extremamente próximo do da vida quotidiana, onde o tempo gosta de transformar o amargo em agridoce. A recente 2ª temporada não surpreende tanto quanto a primeira, mas continua uma série encantadora, e este episódio, dirigido pelo próprio Michel Gondry, é nada menos do que uma pequena maravilha..

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui...