Aviso de navegação aos amigos portugueses

Como já tenho dito aqui, Portugal está muito parecido com o Brasil de há uns 3, 4 anos. Então, deixo um aviso: a batalha que se trava nas redes sociais não é de argumentação lógica. A nova direita autoritária não procura a lógica, mas visibilidade e tornar-se viral. O tom sensacionalista das suas mensagens é planeado precisamente com esse fim: suscitar o "click bait" e seduzir quem já não se revê na razão democrática. Então, não interajam, não reproduzam, não partilhem. Quanto mais conseguirem evitar mencionar o nome dos líderes dos movimentos, melhor (não é apenas por humor que no Brasil se começou a escrever "biroliro" ou "bozonaro"), e, principalmente, não partilhem diretamente posts, perfis ou hashtags deles. Se for impossível, optem por tirar um "print screen". Quando partilharem notícias, façam-no de órgãos jornalísticos credíveis. Escrevam e debatam sobre os tópicos que aparecem, sim, mas não entrem em discussões com quem já se perdeu para o ódio: bloqueiem a pessoa ou, pelo menos, deixem de segui-la. Se ela partilhar uma "fake news", mostrem-lhe que a notícia é falsa. Se ela insistir, denunciem o post. Denunciar posts e perfis por partilha de falsidades e discurso de ódio é a vossa arma. Se perceberem que se trata de alguém que não está ainda perdido para a loucura e que se debate com dúvidas, sejam respeitosos, esclareçam-nas e não diminuam as suas inquietações. Com quem não sabe de qual lado se pôr, deve-se ser claro e educado. Em todos os momentos, até nos de gozo, sejam responsáveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui...