Neymar e a inocência

Sou um apreciador muito moderado de futebol. Talvez por isso me custe entender a necessidade da exposição, no jornal mais assistido do país, das mensagens trocadas entre Neymar e a mulher que o acusou de estupro. É possível que Neymar seja culpado, é possível que a mulher esteja tentando se aproveitar dele e é possível que ambas as coisas sejam verdade. Seja o que for, é absolutamente terrível que a mídia promova uma absolvição popular - tão grave quanto uma condenação - do pobrezinho menino astro dos relvados. É o juiz, não o público de TV, quem tem de analisar as provas produzidas e decidir se Neymar constrangeu "alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou (...) outro ato libidinoso". E, não, não é porque o próprio Neymar fez essa exposição despudorada da sua intimidade que os telejornais devem ser transformados numa latrina onde se faz a exploração reles de um assunto que merece tratamento sério.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui...